Sunday, August 16, 2009

Hotéis da RAM com a melhor ocupação, mas as receitas continuam a cair


Madeira Rural



A Madeira foi a região de Portugal onde se registou a melhor taxa de ocupação por cama hoteleira (57,9%) e a maior estada média de hóspedes (5,3 noites). Contudo esses números não disfarçam os maus resultados do destino (uma tendência nacional, quer em termos globais, quer regionais), que registou a taxa de variação negativa maior do País no que se refere a dormidas em unidades hoteleiras (menos 8,4%, correspondente a uma queda de 46 mil). Os números referem-se ao mês de Junho e foram ontem divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O documento sobre a actividade turístico do sexto mês do ano, inclui ainda um resumo estatístico do primeiro semestre de 2009 em que os resultados são, como se esperava, mais baixos que em relação a igual período de 2008, quer nas entradas de turistas, quer na ocupação de camas hoteleiras e, sobretudo, nos proveitos.
Um factor que se destaca ainda na Madeira relativamente ao mês de Junho deste ano, em comparação com os resultados nacionais, são os números do RevPar (rendimento por quarto disponível, medido através da relação entre os proveitos do aposento e o número de quartos disponíveis), que subiu na hotelaria regional. Os proveitos dos aposentos baixaram em Junho em 7,7% ou seja menos 1,15 milhões, para 13,82 milhões de euros. Uma vez que a facturação por dormida até aumentou 0,8% (de 27,33 euros para 27,54 euros). O que se verifica é a existência de menos clientes, pois a Madeira foi também a região com a maior queda do número de hóspedes em Junho, com uma redução de 10,4% (cerca de 11 mil clientes). Os proveitos totais baixaram a um ritmo inferior ao nacional (-9,5% ou menos 2,39 milhões, para 22,8 milhões de euros), com uma queda ainda mais suave dos proveitos de aposento como já referimos.

Relevante no quadro estatístico revelado ontem pelo INE é o crescimento de dormidas de portugueses nos hotéis da Madeira. Nos primeiros seis meses deste ano as unidades regionais tiveram 368.060 dormidas de hóspedes nacionais, mais 14% do que em igual período do ano passado. O mês de maior crescimento foi o de Junho, em que as unidades hoteleiras da Madeira facturaram 94.210 dormidas de portugueses (mais 34% do que em igual mês de 2008.

Quanto às dormidas de hóspedes estrangeiros, a exemplo do que tem acontecido em todo o País, a queda na Madeira é também muito grande.

Os hóspedes não residentes mantêm uma evolução negativa (decréscimo homólogo de 10,2%), correspondendo a 2,3 milhões de dormidas em todo o País. Os principais mercados emissores representaram 72,5% das dormidas de estrangeiros. O mercado britânico, o maior em 2008, teve uma quebra de 20%.

Nos comentários que acompanham a nota de imprensa que divulga o relatório de actividades do Turismo relativas ao primeiro semeste do ano em Portugal, o INE destaca que "o bom desempenho do mercado interno poderá estar relacionado com campanhas promocionais dirigidas para este mercado, associadas ao aumento da procura dos destinos nacionais, na sequência da conjuntura económica desfavorável e eventualmente do aparecimento da Gripe A. O clima favorável, que beneficiou o período de feriados consecutivos ocorrido em Junho, contribuiu igualmente para o aumento das dormidas de residentes, beneficiando a Madeira, como já referimos.

Portugueses em alta

No mês de Junho de 2009, a hotelaria registou 3,6 milhões de dormidas, menos 1,6% do que no mês homólogo do ano anterior, revelou o INE. Para este resultado contribuiu principalmente o comportamento dos não residentes (-10,2%), uma vez que os hóspedes nacionais apresentaram um significativo aumento (+18,4%), em parte associado a um período de feriados consecutivos ocorrido no mês em análise. Os proveitos totais atingiram 170,2 milhões de euros e os de aposento 115,6 milhões, valores que representam quebras homólogas de 8% e 7,4%, respectivamente. No período de Janeiro a Junho de 2009, a hotelaria portuguesa recebeu 5,9 milhões de hóspedes que originaram 16,1 milhões de dormidas, resultados que representam decréscimos de 6,2% e 8,8%, respectivamente, quando comparados com o primeiro semestre de 2008."

Fonte: Dnoticias.pt



Madeira Rural

No comments:

Post a Comment